Leia Agora a Histórinha da Branca de Neve e os Sete Anões

Era uma vez, um reino muito distante que vivia um Rei, uma Rainha com sua filhinha que se chamava Branca de neve. A menina tinha os cabelos
pretos como a noite, lábios vermelhos como sangue e a pele branca
como a neve.
A Rainha que a um tempo já estava muito fraca e doente, em uma noite
veio a falecer.
O Rei que se sentia muito sozinho, casou se novamente com a ideia de
dar uma nova mãe a Branca de neve. Mas a nova Rainha que era muito
bonita na verdade era uma feiticeira muito cruel. Ela tinha um espelho
mágico no qual consultava todos os dias:
– Espelho, espelho meu! Existe no mundo alguém mais bela do que eu?
– Tu és a mais bela entre todas deste Reino- Respondeu o espelho.
Enquanto isso, Branca de Neve crescia, a cada dia mais bela, inteligente,
meiga e muito educada. Todos gostavam muito dela, menos a Rainha,
que tinha inveja de todo carinho que ela despertava nas pessoas.
Após a morte do Rei, a Rainha a obrigava a vestir se com trapos e a
limpar o castelo inteiro sozinha, mas isso não a impedia de sonhar e
cantar.
Em uma manhã, como de costume a Rainha Má foi consultar se com o
espelho mágico e teve uma grande surpresa.
– Espelho, espelho meu! Existe no mundo alguém mais bela do que eu?
– Sim, minha Rainha, Branca de Neve é agora a mais bela entre todas
deste Reino.
A Rainha ficou muito furiosa e ordenou que seu melhor caçador a
levasse para a floresta e a matasse e como prova trouxesse o seu
coração dentro de uma caixa.
Porém como a menina era muito amável e doce com todos, o caçador
não teve coragem e contou a Branca de Neve o plano da Rainha.

-Princesa, eu sempre fui leal ao seu pai e não vou obedecer a Rainha,
fuja para bem longe e nunca mais volte.
– Mas porque a Rainha deseja me matar – perguntou a Princesa.
– Por que ela deseja ser a mais bela entre todas, fuja Princesa e nunca
mais volte.
Branca de Neve correu pela floresta até não conseguir mais de tão
cansada. As lágrimas que caiam por seu rosto a cegavam e a menina caiu
exausta no chão.
Chegando no castelo o caçador entregou a Rainha o coração de um
servo, dizendo que era da pobre menina. A Rainha ficou muito feliz
pensando que a Princesa havia morrido.
Branca de Neve que estava perdida na floresta, nem percebeu que havia
adormecido perto de uma pequena cabana muito agradável. Com fome,
e, assustada ela foi até a porta que estava aberta e espiou lá dentro. A
casa estava muito bagunçada e suja e todas as coisas eram muito
pequenas parecia que crianças viviam lá.
Então Branca de Neve, resolveu entrar e arrumar todas as coisas na
esperança que dessa forma, as crianças a deixassem ficar por ali. Depois
de tudo muito limpo e arrumado, a Princesa deitou-se para descansar e
acabou dormindo.
Os donos da casinha, eram sete anõezinhos muito bagunceiros, que logo
se espantaram com a arrumação da casa e com a limpeza. Então
encontraram a jovem Princesa dormindo em uma das caminhas, Branca
de Neve acordou e explicou toda sua história aos anões. Todos eles se
comoveram com que a Rainha tinha feito contra ela e a convidaram para
morar com eles.
Em uma tarde, ao se consultar com o espelho a Rainha Má, descobriu
que Branca de Neve ainda vivia na floresta e estava cada vez mais bela e
bondosa.
Então tomou uma poção mágica que a transformou em uma velhinha
com roupas bem surradas e com uma maça envenenada foi ao encontro
de Branca de Neve.

– Com apenas uma mordida, Branca de Neve caíra em sono profundo e
então eu serei a mais bela.
A Rainha Má esperou os anões saírem para o trabalho e deixarem a
Princesa sozinha. Aproximando se da janela da casinha a velhinha disse:
– Por favor, linda menina, será que ajudaria essa velha senhora com um
copo d´água?
Branca de Neve muito bondosa deu a agua para a senhora que em troca
ofereceu uma maça.
– Como a maça, é deliciosa, eu faço questão.
Após a primeira mordida, a princesa caiu adormecida no chão. Os anões
que foram avisados pelos passarinhos da floresta, souberam do triste
acontecimento. A Rainha por sua vez, enquanto fugia pela floresta,
tropeçou em um galho e caiu em um abismo e morreu.
Os anões colocaram a princesa em um caixão de vidro para admirar sua
beleza, pois ela estava tão linda que não tiveram coragem de deixa-la
sozinha.
O caso da Princesa que dormia em um caixão de vidro chegou até aos
ouvidos do Príncipe que vivia no reino vizinho, e por curiosidade ele foi
até lá para ver a bela moça. Ao ver Branca de Neve ele imediatamente se
apaixonou e passou a ir todos os dias visitá-la.
Com o inverno se aproximando, o Príncipe pediu permissão aos anões
para que pudesse levar a Princesa para seu reino, afim de protege-la das
tempestades de neve. Os anões concordaram. Quando levantaram a
Princesa para seguir viagem com o Príncipe, o pedaço de maça
envenenada saiu dos lábios dela e assim ela acordou do feitiço.
Quando Branca de Neve viu o Príncipe pela primeira vez também se apaixonou e eles seguiram felizes a caminho do castelo, no qual se
casaram no mesmo dia e viveram felizes para sempre.

FIM.

Leia Agora a Histórinha da Cachinhos Dourados

Em algum ponto da floresta, vivia uma linda família de ursos.

Todas as manhãs, o papai urso, a mamãe ursa e o pequeno ursinho passeavam pela linda floresta, antes de tomar o delicioso mingau que a mamãe Ursa, já deixava preparado para tomar assim que voltassem do passeio.
Enquanto isso logo após a família ter saído, uma menininha que tinha perfeitos cachinhos dourados estava perdida na floresta e encontrou a casa da família de Ursos.
A garotinha que se chamava Cachinhos Dourados logo sentiu o cheiro do delicioso mingau preparado pela mamãe Ursa e como estava com muita fome, foi até a porta e chamou, e bateu, mas não havia ninguém. A família de Ursos ainda estavam em seu passeio.
Então a menina entrou e logo viu uma mesa com 3 pratos e decidiu provar o mingau. Na tigela maior o mingau estava muito quente e não conseguiu comer, provou o mingau que estava na tigela média, mas estava tão frio que desistiu. Na menor das tigelinhas estava morninho e delicioso.
Depois de comer todo o mingau, Cachinhos Dourados procurou um lugar para descansar. Ali perto encontrou 3 sofás muito bonitos, se sentou no primeiro que era bem grande, porém muito duro, o segundo médio, mas muito mole, até que encontrou o terceiro sofá que era perfeito porém pequeno demais e quando se sentou caiu no chão quebrando o sofá.
Então Cachinhos dourados foi procurar outro lugar para descansar e viu 3 camas uma ao lado da outra. A primeira muito grande e dura, a segunda muito mole e a terceira era bem quentinha, não resistiu e pegou no sono.
A Família Urso que estava voltando do passeio, notou algo estranho assim que entraram na casa: a porta estava aberta!
Encontraram os sofás bagunçados e um deles quebrado.
– Alguém comeu o meu mingau e quebrou meu sofazinho- disse
o Ursinho.
-Bagunçaram toda a mesma mesa – disse o papai urso
-Deitaram na minha cama – gritou a Mamãe Ursa.
Quando o ursinho se aproximou da cama percebeu que havia
uma menininha deitada ali.
-Mamãe, Papai! Tem uma menina dormindo na minha cama.
Com todo aquele barulho, Cachinhos Dourados acordou
assustada com os ursos.
Ela achou que eles iriam devora-la e tentou pular a janela, por sorte Papai Urso a segurou ou iria cair. Então ela percebeu que os ursos eram bondosos e que moravam ali. Cachinhos Dourados ficou muito amiga deles, e ia visita-los sempre que podia e dali por diante prometeu que
nunca mais iria mexer nas coisas dos outros sem autorização.
FIM.